fevereiro 20, 2017

GERBIL COMPLETO

Gerbil / Esquilo da Mongólia

Ainda não tão conhecidos como outros roedores, os Gerbils ou Esquilos da Mongólia são ótimos pets.

Ativos, curiosos e ótimos escavadores, esses bichinhos são muito limpos e não apresentam odor forte na urina e nas fezes.

Gostam de viver com companheiros do mesmo sexo ou até grupos, desde que acostumados desde filhotes.

E tem uma particularidade interessante, ao perceberem o perigo ou algo diferente, ficam em pé sobre as patas traseiras para observar melhor.

 

 

 

A ORIGEM

São também chamados de Gerbo, Esquilo da Mongólia e Gerbilo

 

Gerbil selvagem

 

Os gerbils selvagens são encontrados nos grandes desertos da Mongólia e Nordeste da China. Áreas áridas, com escassez de vegetação e de chuvas e com grandes variações térmicas.

Devido a isso são adaptados a alimentação com pouca proteína e mais seca que outros roedores.

Para se protegerem de predadores e das grandes diferenças térmicas que ocorrem nas áreas desérticas, os gerbils cavam túneis formando longas galerias onde passam grande parte de suas vidas.

Os primeiros gerbils foram levados da Mongólia à Europa no meio do século XIX.

Inicialmente foram expostos em zoológicos e mantidos em laboratórios.

E alguns chegaram às mãos de pessoas que fizeram uma seleção genética gerando novas cores. A cor original dos exemplares selvagens é o agouti castanho.

 

Mas foi na década de 1980 que esses bichinhos se tornaram realmente populares como pets na Europa e EUA e agora tem se tornado também muito populares no Brasil.

 

 

CARACTERÍSTICAS 

 

EspécieMeriones unguiculatus

Tamanho: 12 centímetros de corpo e 6-12 cm de cauda.

Peso: 52 a 133 gramas.

Expectativa de vida: 3-4 anos.

Consumo diário de alimento: 5 a 8 gramas para 100g de peso.

Consumo diário de água: 4 a 7 ml para 100g de peso.

Temperatura ambiente recomendável: 22 a 23ºC.

Maturidade sexual: com cerca de 10-12 semanas, podendo demorar um pouco mais para iniciar o ciclo reprodutivo.

Período fértil da fêmea: de 4 dias a cada 6 dias.

Duração da gravidez: 21-24 dias

Freqüência de ninhadas: a cada 5-7 semanas, diminuindo à medida que envelhecem.

Número de filhotes: em média 4-6 filhotes por ninhada

São bichinhos muito curiosos. É interessante vê-los em pé sobre as patas traseiras prestando atenção a qualquer som ou movimento diferente. E batem as patas no chão para avisar o resto do grupo sobre algum perigo.

Não tem hábitos noturnos como a maior parte dos roedores. Na verdade são ativos durante o dia e alternam períodos de sono e atividade durante o dia e a noite

Adoram escavar e correr. Roem tudo que encontram pela frente e fazem bastante bagunça no alojamento.

Mas produzem menos fezes e urina do que a maioria dos roedores, o que faz com que não tenham mau cheiro e nem precise de trocas constantes do substrato da gaiola.

São muito dóceis com humanos e raramente mordem. Na verdade preferem fugir do que morder.

São animais sociáveis e por isso não devem ser criados sozinhos ou podem desenvolver problemas de comportamento.

Na natureza vivem em grandes grupos familiares

 

Devem ser mantidos pelo menos em pares do mesmo sexo.

Ou em comunidades com mais indivíduos desde que tenham espaço suficiente.

 

Costumam ser agressivos com outros gerbils que não fazem parte do seu grupo familiar. As brigas costumam acabar em morte.

As fêmeas tendem a ser mais agressivas que os machos em relação a outros gerbils.

Para evitar problemas é aconselhável juntar apenas animais bem jovens no mesmo alojamento.

Criam laços familiares fortes e os nascidos na mesma família são reconhecidos, aceitos e protegidos por todos.

Mas é importante nunca separar um gerbil dos outros por mais de 24 horas. Ao ficarem muito tempo separados podem não ser reconhecidos pelos outros e acabarem atacados e mortos ao serem confundidos com um invasor.

Para evitar a reprodução e super população o ideal é formar colônias com animais do mesmo sexo.

 

 

 

O Gerbil e o Olfato

Esse é um sentido muito importante para o Gerbil. É principalmente através do odor que ele reconhece os outros animais de seu grupo e até seu ambiente.

É muito importante lembrar disso ao retirar e recolocar um gerbil em um grupo. Se ele for retirado, passar muito tempo separado do grupo perdendo o cheio característico ou até tendo seu cheio misturado a outro, pode não ser reconhecido e até atacado ao ser reintroduzido ao grupo.

Outra coisa muito incomoda para eles é a limpeza excessiva do alojamento. Apesar de não exalarem odor forte é comum que o tutor faça a higiene com produtos de limpeza que retirem completamente o odor e até deixem perfume, além de retirar todo substrato de uma só vez durante a limpeza.

Isso pode causar desorientação devido ao não reconhecimento dos odores e não é raro desencadear comportamentos agressivos.

 

 

ALOJAMENTO

 Ao escolher o alojamento é preciso lembrar das características dos gerbils.

Eles precisam viver em pares ou grupos e para isso o alojamento tem que ter um bom tamanho.  O tamanho médio para 2 gerbils é de pelo menos 50x40cm.

E é preciso lembrar também que os gerbils têm o instinto de cavar e adaptar o alojamento para que eles possam fazer isso.

 

Podem ser usadas:

Gaiolas para Roedores

São ventiladas e tem uma grande variedade de tamanhos e modelos. Mas precisam ter bandeja ou algum espaço onde possa ser colocado substrato suficiente para escavarem sem que joguem tudo pra fora da gaiola.

As grades facilitam a colocação de acessórios como rodas e bebedouros, mas alguns gerbils têm a tendência de roer as grades podendo até causar falta de pelos no focinho e retirada de tinta das grades.

Os gerbils não podem pisar em grades por isso gaiolas com grades no piso e que não possam ser retiradas não servem para esses bichinhos.  E as bandejas precisam ser plásticas e não metálicas.

Gaiolas com mais partes plásticas costumam ser mais resistentes a destruição por terem menos grades, mas é importante verificar se a ventilação é boa. Outro beneficio desse tipo de gaiola é que normalmente possuem mais espaço para a colocação do substrato sem que ele caia para fora ao ser escavado. Mas costumam ser mais caras que as com mais grades.

 

 

 

Terrários
 

Podem ser feitos a partir de aquários. É preciso adaptar uma tela na parte de cima para evitar fugas, mas sem atrapalhar a ventilação.

É necessário fazer algumas adaptações para colocar os acessórios já que não há grades para fixá-los.  Mas são uma ótima opção para que os gerbils tenham bastante substrato para cavar e se divertir sem jogar tudo para fora do alojamento. Só é preciso lembrar que quanto maior for o terrário, mais pesado ele será e conseqüentemente mais difícil de transportar para fazer a limpeza.

 

Caixas organizadoras

São uma opção interessante desde que você tenha disposição e criatividade pra preparar o alojamento.  É necessária pelo menos uma caixa organizadora grande e transparente e a colocação de telas para ventilar e evitar fugas. O espaço pode crescer com o uso de mais de uma caixa unida à outra por tubos de PVC.  É possível fixar acessórios como rodas e bebedouros fazendo furos no plástico.  E é importante prestar atenção se não existem arestas que possam ser roídas.

 

 

 

 Mistura de gaiola com terrário ou caixa organizadora ou aquário

Essa é uma opção mais recente criada como alojamento para gerbils. É preciso uma gaiola sem fundo e uma caixa organizadora ou aquário no tamanho certo para ser encaixado como fundo da gaiola.

Esse tipo de alojamento costuma ter melhor ventilação que apenas o aquário ou a caixa organizadora.

Na parte inferior é possível colocar grande quantidade de substrato para ser escavado e na parte superior fica mais fácil colocar acessórios como rodas e bebedouros presos as grades.

O maior inconveniente costuma ser conseguir uma caixa ou aquário que se encaixe perfeitamente e em alguns casos acaba sendo necessário um aquário feito sob medida.

 

Acessórios

 

Bebedouro

Precisam ser do tipo garrafa ou “mamadeira” com bico metálico.  Se o corpo do bebedouro for de plástico ele precisará ficar por fora da gaiola para não ser roído. Para ser colocado dentro da gaiola é preciso que seja de vidro.

 

Comedouro

Os melhores são os de barro, metal ou louça para não serem logo destruídos a dentadas.

 

Casinha ou toca

Dão segurança aos bichinhos e são muito apreciadas por eles. Podem ser de madeira atóxica e com o tempo é normal ter que substituí-las por serem roídas.

 

Roda de exercícios

É um acessório que eles costumam gostar e usar muito, mas é preciso que tenha o fundo fechado, sem espaços onde o rabo ou até as patas possam ficar presos.

 

Brinquedos

 

Como roem tudo, os brinquedos de madeira que podem ser roídos e são uma ótima opção. Outras coisas que eles também adoram são túneis, pontes e esconderijos.

 

Substrato

É um componente importante no alojamento porque além de servirem para absorver a urina, também são usadas pelos gerbils para escavar e para colocar no ninho.

Dependendo do tipo de alojamento é possível colocar no fundo uma camada de 10 a 15 cm de substrato para ser escavado.

A escolha do substrato depende de fatores como custo, tamanho do alojamento, facilidade de encontrar o produto, capacidade de absorção e praticidade.

 

Areia Sanitária de gatos

 Absorve bem a urina, mas como é feito de material argiloso, quando muito molhado se transforma em lama. Raramente causa alergias ou são ingeridos por gerbils.

Não utilizar granulados perfumados ou a base de sílica.

 

Granulado Sanitário de madeira

 Considerados uma excelente opção, pois são leves, absorventes e agradáveis para escavar. Não causam alergia e são biodegradáveis podendo ser jogados no vaso sanitário.

 

Papel higiênico 

Boa opção para ninhos, mas fica logo ensopado de urina e precisa ser trocado com freqüência

 

Granulado de celulose

Ótima opção para absorver a urina e para ser cavado por ser leve e absorvente.

 

Feno

Não absorve bem a urina, mas é ótimo para ninhos e parte da alimentação auxiliando no desgaste dos dentes. Pode ser utilizado com outro substrato.

 

Maravalha

Absorve menos a urina e logo fica unida, mas é agradável para ser escavado. Tem baixo custo, mas precisa ser específica para roedores. Nunca utilize maravalhas vendidas ou doadas por madeireiras. Podem conter substancias tóxicas como verniz, tinta ou serem de madeiras impróprias para roedores. Pode ser utilizada misturada a outro substrato. Mas os gerbils costumam apresentar pelagem feia, arrepiada e com aspecto descuidado quando é utilizada a maravalha.

 

Jornal

Pode ser tóxico devido à tinta. Não deve ser usado e não absorve bem a urina.

 

 

 

ALIMENTAÇÃO

Os gerbils tem necessidades nutricionais diferentes de outros roedores o que torna a alimentação deles um pouco mais difícil de manter balanceada.

Ainda não existem rações nacionais especificas para esses bichinhos então é preciso oferecer, além de ração, outros alimentos complementares.

A alimentação do gerbil deve ter pelo menos 18% de proteínas, mas apenas 5% de gordura ou menos.

E isso faz com que a maioria dos alimentos para roedores, como hamsters, não sejam ideais para eles.

 

 Ração

Deve ser à base da alimentação dos gerbils. Mas como não há uma ração especifica a melhor opção são as rações peletizadas para ratos que contem a composição mais adequada em relação a proteínas e gorduras.

E como só a ração não é suficiente existem outros alimentos que também devem ser oferecidos.

 

Mistura de grãos e cereais  

Pode ser oferecida como 10 a 15% da alimentação do esquilo da Mongólia. Mas é preciso tomar cuidado com a quantidade de gordura. Alguns grãos como a semente de girassol são muito ricos em gordura e devem ser oferecidos em pouca quantidade.

O melhor são as misturas de grãos desenvolvidas especialmente para os gerbils, mas caso precise optar pela mistura para hamsters, retire o milho parte dos grãos mais gordurosos como o girassol.

Observe sempre a qualidade dos componentes das misturas para hamsters. Muitos tem componentes de baixa qualidade e devem ser evitados.

 

Outros alimentos

Devem ser dados em pouca quantidade. Apenas 5 a 10 % da alimentação total.

Precisam ser introduzidos aos poucos na alimentação para evitar problemas gastrointestinais.

 

Vegetais

 Devem ser oferecidos em pouca quantidade, mas em grande variedade para ajudar a suprir todas as necessidades nutricionais.

A quantidade média para 1 gerbil pode ser de uma colher de chá de vegetais, 3 vezes por semana.

Verduras: As verduras verdes escuras são ótimas fontes de nutriente. Ofereça sempre cruas e bem higienizadas.

Ervas: São muito apreciadas por esses bichinhos e alguma podem até ser cultivadas e casa para serem fornecidas sem agrotóxicos.

Legumes: A maioria dos gerbils adora legumes e come antes dos outros vegetais.

Frutas Ofereça em pequenas quantidades para evitar que o açúcar presente nas frutas fermente no estomago causando mal estar.

Evite frutas ácidas que podem causar irritações na boca.

 

Feno e alfafa

Além de usados na alimentação, alguns gerbils gostam de fazer ninhos com eles. O feno pode ser oferecido à vontade, já a alfafa contem maior quantidade de cálcio e deve ser oferecida apenas 1 ou 2 vezes por semana.

 

Biscoito de proteína vegetal: Dados como petisco.

 

Proteína animal: O que muitos não sabem é que a proteína animal faz parte da dieta dos gerbils em pequenas quantidades e normalmente são dadas semanalmente ou a cada 10 ou 15 dias. Opções de proteína animal: queijo branco magro, insetos desidratados, larvas de tenébrio (espécie de besouro), ovo cozido, insetos desidratados.

Larvas de tenébrio

 

Cuidados com os Alimentos

Ofereça sempre os alimentos em temperatura ambiente.

Introduza gradativamente novos alimentos na dieta para evitar problemas gastrointestinais.

Como costumam escavar e esconder os alimentos é preciso verificar diariamente se não existem sobras de alimento escondidos que podem estragar e retira-los

 

 

 

Higiene

Os esquilos da Mongólia são animais muito preocupados com higiene.

Costumam utilizar um canto do alojamento como banheiro e até chegam a tentar jogar as fezes pra fora na intenção de manter o alojamento limpo.

Não tomam banho com água. Por serem animais de clima desértico, utilizam areia fina para rolar e se limpar, mas os gerbils domesticados podem usar recipientes com pó de carbonato de cálcio ou areia calcária para se higienizarem rolando no pó, mantendo a pelagem limpa, desengordurada e seca.

O pó de banho pode ser colocado no alojamento 1 vez por semana, mas apenas pelo tempo suficiente para que rolem e se limpem. Se o pó ficar muito tempo disponível no alojamento os bichinhos acabarão urinando nele.

Eles também limpam e arrumam os pelos uns dos outros. Além de higiene esse comportamento é também uma forma de interação social que pode demonstrar a hierarquia do grupo.