Perigos escondidos nos brinquedos para roedores e coelhos que você nem imagina

Ao comprar brinquedos para os nossos bichinhos costumamos escolher o que imaginamos que eles irão gostar mais e nem sempre percebemos os perigos que podem estar escondidos em alguns deles.

Não são raros os atendimentos nos consultórios veterinários de roedores e coelhos vitimas de acidentes com alguns desses brinquedos.

 

Aqui vão alguns exemplos de perigos em brinquedos que muitas vezes passam despercebidos pelos tutores:

 

Peças que podem ser engolidas:

Peças como miçangas ou aros plásticos são muito duros e ao serem roídos podem ser engolidos e até levar o bichinho a morte por asfixia.

No caso de se quebrarem ao serem mordidos podem causar ferimentos na boca.

Antes de comprar o brinquedo verifique se ele não tem nenhum desses componentes.

 

Madeira imprópria:

Algumas madeiras como MDF, compensado, Duratex, eucalipto, cedro, etc…são tóxicas e podem até mesmo serem fatais se roídas ou ingeridas.

Mesmo assim não são raros os brinquedos,tocas e casinhas feitos  com esses materiais.

Ao escolher um produto de madeira verifique se é de pinus , bambu ou outra madeira segura ou se na etiqueta existe a informação de que é de madeira atóxica. Em caso de dúvida o melhor é não arriscar.

 

 Tintas e Colas:

 Existem tintas e colas atóxicas ou corantes alimentícios que podem ser utilizados na fabricação de produtos para roedores, mas algumas vezes encontramos produtos que utilizam tintas e colas que não são seguras.

Verifique se a embalagem ou etiqueta informam sobre a tinta utilizada. Escolha sempre os que informam que a tinta e/ou a cola são atóxicas.

 

 Parafusos e Pregos:

 Alguns fabricantes utilizam pregos e/ou parafusos para unir peças de madeira de brinquedos tocas e casinhas. Mas como os roedores costumam ir roendo inclusive suas casinhas, com o tempo podem acabar ferindo a boca ou até engolindo o parafuso ou o prego.

Verifique como as peças do produto são fixadas e escolha os que são encaixados ou colados com cola atóxica.

 

 Tamanho proporcional ao do roedor ou coelho:

Ao comprar produtos como casinhas, tocas e túneis verifique se o tamanho é o certo para o seu bichinho. Inclusive se for filhote é importante calcular se será seguro mesmo durante o crescimento dele.

São muito comuns acidentes onde os bichinhos acabam ficando entalados em portas ou janelas de casinhas ou com o dedinho,a cabeça ou a patinha presos em algum vão ou buraco.

 

E agora que já conhece os principais perigos que podem estar escondidos em um simples brinquedo, verifique bem como e com o que são feitos os produtos para garantir a saúde e a segurança do seu bichinho.

 

Aqui você encontra brinquedos seguros,testados e aprovados por veterinários: http://www.roedoresecoelhos.loja2.com.br

Dicas para quando levar seu Roedor ou Coelho ao Veterinário.

Nossos bichinhos não sabem contar o que está acontecendo com eles e até tentam esconder os sintomas.

Isso torna o trabalho do veterinário ainda mais difícil. Então existem algumas coisas que ajudam muito durante a consulta:


Faça uma lista de coisas que percebeu de diferente ou acha importante para não esquecer de dar nenhuma informação ao veterinário.
Se levar o animalzinho dentro do alojamento, não limpe o local naquele dia. O tipo de substrato utilizado, o aspecto das fezes e da urina e até a presença de secreções são de grande ajuda para o veterinário.
Se ele for levado em uma caixa ou gaiola de transporte, aproveite pra tirar fotos do alojamento onde ele passa a maior parte do tempo. Muitos problemas estão ligados ao alojamento e ao ver as fotos o veterinário poderá avaliar se está tudo certo ou algo precisa ser modificado no alojamento.
Fotos das fezes e urina com aspecto diferente do normal também ajudam muito, já que alguns bichinhos simplesmente não urinam e nem defecam fora do alojamento e muito menos durante a consulta.


Informe se o animal vive sozinho ou com outros da mesma espécie ou até de outras espécies.
Informe também se ele costuma ter contato com crianças que podem ter causado algum ferimento acidental ou oferecido algum alimento impróprio.
Se achar que pode se esquecer, anote também a marca da ração, vitamina, medicamentos ou suplementos que costuma dar a ele.
Se você costuma pesa-lo e percebeu alguma mudança recente no peso é muito importante que dê essa informação. Mesmo que ele esteja sendo pesado pelo veterinário, ele não terá como saber da perda ou ganho de peso se não consultou o roedor ou coelho há pouco tempo.
Aproveite também pra fazer uma lista de duvidas que gostaria de esclarecer durante a consulta.


Siga todas as recomendações do veterinário e não tenha vergonha de perguntar se não tiver entendido alguma coisa.
Se achar que precisa, não há nada de errado em pedir uma segunda opinião, como é feito com médicos. Mas isso deve ser feito em outra consulta com veterinário e nunca pela internet. Nenhum veterinário pode diagnosticar ou medicar um animal sem examina-lo, então tenha certeza que se alguém fizer isso, não é veterinário e você estará colocando a vida do seu animalzinho em risco.
E a dica mais importante: Seja sincero. Isso pode fazer toda a diferença no diagnóstico, tratamento e até nas chances de cura do seu bichinho. Mesmo que você tenha feito algo errado, não esconda isso pra não prejudicar seu roedor ou coelho.
E não deixe de fazer tudo que foi indicado e de leva-lo aos retornos marcados.

Cuidados ao Doar um Roedor ou Coelho

 

PRECISO DOAR MEU BICHINHO. E AGORA?

Não é raro que por diversos motivos as pessoas acabem precisando doar um roedor ou coelho.

Anunciar e encontrar pessoas interessadas em adotar não costuma ser difícil, mas e como saber se realmente serão bons adotantes?

Essa é uma grande preocupação porque cada vez mais encontramos pessoas querendo adotar para utilizar o bichinho como alimento para repteis. Essa pessoas inclusive participam de grupos de roedores e coelhos em redes sociais com essa intenção.

 

 E como garantir que vou estar doando pra quem realmente vai cuidar?

O bom adotante deve se prontificar a cuidar tão bem quanto você estava cuidando.

 

Aqui vão algumas dicas:

Faça uma entrevista com cada interessado para ver se realmente vai cuidar como deve, se tem as informações corretas sobre como cuidar do roedor ou coelho e se não tem outros animais na casa que possam ferir o bichinho. E pode até pedir fotos do local onde ele ficará.

Faça um termo de adoção e posse responsável para o adotante assinar. Dessa forma ele terá que se responsabilizar por cuidar bem do bichinho e cria-lo apenas como pet e não poderá vender ou doar para outra pessoa.

Peça que ao buscar o animalzinho ele traga todo o enxoval pronto. Como alojamento, acessórios e alimentos. Quem realmente vai cuidar bem já deve providenciar tudo isso.

Uma pessoa interessada apenas em usar o animalzinho pra alimentar um réptil não vai gastar com o enxoval.

Prontifique-se a aceitar o animal de volta caso não se adapte.  Assim você estará evitando que seja simplesmente doado para qualquer pessoa ou até descartado sem que você saiba.

Infelizmente não são tão raros os casos de abandono de roedores e coelhos.

Outra coisa que pode ser feita é ir pessoalmente entregar o bichinho. Assim é possível verificar se o local é adequado e se a pessoa realmente foi sincera na entrevista.

E se tiver oportunidade, verifique o perfil do adotante nas redes sociais. Algumas vezes é assim que descobrimos que aquele interessado que parece ser um bom adotante, na verdade procura roedores e coelhos para alimentar repteis ou para comercializa-los.

 Como a intenção é encontrar o melhor lar para o bichinho, nada disso é excesso de cuidado.  O importante é só doar se tiver certeza que o roedor ou coelho terá um ótimo lar.

Livro sobre Porquinhos da Índia

 Manual do Porquinho da Índia

 Agora temos também o nosso livro. Um manual super completo sobre Porquinhos da Índia com todas as informações necessárias para, conhecer, entender e cuidar muito bem desses bichinhos maravilhosos.
Também na versão e-book.

http://www.clubedeautores.com.br/book/207819–O_Manual_dos_Porquinhos_da_India

Oferecer ou não Papinha para o Roedor ou Coelho?

Muitas vezes vemos relatos de roedores e coelhos que parecem não estar comendo bem ou perdendo peso e a principal sugestão é: Ofereça papinha na seringa.

Mas isso é realmente indicado?
Nem sempre.

Aquela afirmação de que se não fizer bem, mal não faz não é verdade.
Em alguns casos a papinha pode causar mais problemas.

A primeira providencia nesses casos é levar o bichinho ao veterinário para verificar a causa da perda de peso ou da possível falta de apetite.

Roedores e coelhos não costumam demonstrar quando não estão bem e podem estar escondendo um problema grave.

Só se deve dar a papinha quando e como indicada pelo veterinário.

 

 

 Mas qual o problema de dar papinha sem a indicação do veterinário?

Ao fazer isso você pode estar causando um ou mais desses problemas:

1-Causar ou agravar problemas odontológicos

Problemas odontológicos são a maior consequência da alimentação com papinha porque ao ingerir a papinha o bichinho não mastiga e não faz o desgaste necessário dos dentes, o que faz com que os dentes continuem a crescer. Mesmo sendo alimentados assim por poucos dias os dentes podem crescer demais ou de forma errada formando pontas e impossibilitando o animal de se alimentar normalmente, resultando na necessidade de um procedimento cirúrgico ou até na morte.

 

2-A alimentação ficar desbalanceada.

Mesmo a papinha preparada com vários legumes, verduras e até ração, nem sempre tem todos os nutrientes necessários e o animalzinho pode apresentar problemas nutricionais.

 

3-O roedor perder o interesse por outros alimentos.

Alguns roedores passam a preferir a papinha e não querer mais outros alimentos tornando se dependentes desse tipo de alimentação e desenvolvendo problemas nutricionais e odontológicos.

 

4- Ingerir a papinha da forma errada.

Ao alimentar o bichinho pode acontecer dele acidentalmente aspirar o alimento se engasgando ou até fazendo com que o alimento ao invés de passar pelo esôfago chegando ao estomago, passe pela traqueia e chegue aos pulmões causando pneumonia.

 

5-Não descobrir um problema grave ou agravar um problema de saúde.

Ao alimentar o bichinho dessa forma a pessoa pode não perceber que ele tem outros problemas como a dificuldade de mastigar por um problema odontológico, a falta de apetite por dor ou devido a uma infecção,etc..
Com isso o problema pode se agravar levando o roedor ou coelho a morte.

A Importância do Feno para Roedores e Coelhos

O feno é à base da alimentação de vários roedores e coelhos.

Mas ele não é útil apenas para alimentar.

Ao ser mastigado auxilia no desgaste dos dentes que crescem continuamente evitando a má oclusão dentária que pode levar a morte.

Quando mastiga o feno o roedor ou o coelho relaxa, pois seu organismo libera substancias que causam relaxamento e bem estar.

Por ser rico em fibras auxilia na formação do bolo alimentar e no peristaltismo (movimento) do intestino.  E com isso também ajuda a eliminar os pelos que são ingeridos pelo bichinho ao se lamber que podem se acumular formando enormes bolas de pelos e causar a obstrução do estomago ou intestino.

Onde comprar feno: www.roedoresecoelhos.loja2.com.br

Estou pronto para ter um roedor ou coelho?

Antes de adquirir um roedor ou coelho é importante pensar nas seguintes questões:

 Vou poder cuidar de um bichinho por toda vida dele?

Lembre-se que alguns roedores como a chinchila podem viver até 15 anos.  Pense que ele fará parte da sua vida durante esse tempo.

 Tenho condições financeiras para cuidar bem dele?

Roedores e coelhos não são animais de manutenção muito cara, mas é preciso avaliar que além das despesas com a compra do alojamento, de alimentos, vitamina e acessórios, também podemos ter despesas com hospedagem e tratamentos de saúde como qualquer outro animal.

Nunca medique seu bichinho sem a orientação de um veterinário.

Nem todo veterinário atende porquinhos da índia e outros roedores. A consulta especializada para esses animais pode ter um custo mais alto do que a consulta de um cão ou gato.  E podem precisar de internação e cirurgias como outros animais.

 

Tenho tempo para ele?

Roedores e coelhos também necessitam de tempo e atenção. É necessário ter algum tempo diariamente para solta-los para brincar e/ou brincar com eles, trocar a água, fazer a higiene e oferecer alimentos e carinho. Eles costumam ficar felizes ao perceber a chegada de seus donos e alguns roedores até emitem ruídos para chamar atenção nesse momento.

Cuidar do bichinho diariamente também é uma forma de perceber se ele está com algum problema de saúde.

 

Sei como cuidar dele?

Antes de adquirir um roedor ou coelho tenha certeza que sabe como cuidar, alojar e alimentar de forma correta o bichinho.

Se informe melhor pesquisando pelo site. E caso ainda tenha duvidas, envie perguntas por e-mail.

 

Sei onde encontrar um veterinário para ele?

Se informe sobre veterinários que atendam roedores e coelhos  na sua região.
Como nem todo veterinário atende esses bichinhos é importante saber onde encontrar um veterinário caso seu bichinho precise.

 

Tenho um local ideal para ele?

Os roedores e coelhos precisam ser mantidos em locais seguros, protegidos do frio e do calor e de animais que possam atacar. Se tiver cães o/ou gatos em casa tenha certeza que não ha risco de ferirem o porquinho, mesmo durante uma brincadeira.  No caso de ter outros animais em casa, o melhor é manter o bichinho em gaiola ou alojamento similar que proteja o bichinho por todos os lados e por cima.

Crianças pequenas também precisam ser orientadas e observadas ao interagir com o animal para evitar que apertem, derrubem ou pisem acidentalmente no animalzinho.

Ao soltar roedor ou coelho para se exercitar verifique se não há lugares por onde ele possa fugir, coisas que possam cair sobre eles, fios ou objetos que possam ser roídos ou locais de onde ele possa cair ou ficar preso.

 

Tenho tudo que preciso para ele?

Antes do bichinho ser trazido para casa é importante providenciar as coisas mais necessárias para os primeiros dias em casa. Nunca traga o animalzinho para casa se não tiver pelo menos um alojamento ideal para colocá-lo. Substrato para manter o fundo do alojamento limpo e seco. Ração e outros alimentos complementares para alimentá-lo pelos primeiros dias.  O pote para colocar a ração e o bebedouro. Nunca coloque roedores e coelhos provisoriamente em caixas de papelão, gaiolas para outros animais ou soltos em lugares inadequados. Mesmo por poucas horas isso pode causar acidentes ou até a morte do bichinho.

 Tenho onde ou com quem deixar o roedor ou coelho se for viajar?

Esse é um detalhe que normalmente esquecemos ao adquirir um animal.  Alguns roedores e coelhos podem até ficar sozinho durante 2 ou 3 dias, mas se a viagem for mais longa do que isso, será preciso levar o bichinho junto, encontrar alguém para ir cuidar dele ou hospedá-lo em um hotel.  São poucos os hotéis para animais que hospedam roedores e coelhos. Se informe com antecedência.

5 Curiosidades Interessantes sobre Porquinhos da Índia


1- Os porquinhos da índia sabem nadar instintivamente. Mas nem por isso gostam de nadar e nem devem ser forçados a isso. Um porquinho forçado a nadar pode entrar em pânico e acabar se afogando.

 

2- Existem raças de porquinhos da índia com as mais variadas pelagens. Curta, longa, lisa, arrepiada, com rosetas (rodamoinhos), encaracoladas, fina, grossa e até sem pelos.

Saiba mais:http://roedoresecoelhos.com.br/porquinho-da-india-racas/

 

 

3-Os dentes dos porquinhos da índia crescem continuamente como os de outros roedores e coelhos.  E precisam ser desgastados pelo atrito da mastigação dos alimentos. A falta de desgaste faz com que cresçam demais podendo até impedir o bichinho de se alimentar.

Saiba mais no:http://roedoresecoelhos.com.br/porquinho-da-india-saude/

 

4-  Os porquinhos da índia já nascem com pelos, olhos abertos e dentes e começam a comer alimentos sólidos com apenas 24 horas de vida.

Saiba mais:http://roedoresecoelhos.com.br/porquinho-da-india-reproducao/

5-O Guinnes considera que o recorde de longevidade de um porquinho da índia é de SnowBall, que morreu na Inglaterra em fevereiro de 1979 com 14  anos e 10 meses.  É possivel que alguns porquinhos tenham vivido mais do que issso, mas apenas o caso de SnowBall foi registrado, pois havia como comprovar a sua idade.

Conheça 5 Curiosidades Interessantes sobre Chinchilas

chinchila-curiosa-roedores-e-coelhos

 Você conhecia essas 5 curiosidades sobre as Chinchilas?

 1- Soltar o pelo é uma forma de defesa. Ao serem atacadas soltam o pelo para que o predador segure o pelo na boca e elas possam fugir.

O local de onde o tufo de pelo se soltou pode ficar completamente pelado, mas depois o pelo voltará a crescer normalmente.

Isso pode acontecer também ao serem manipuladas de forma errada e se assustarem durante a manipulação.

 2- Nunca se deve segurar a chinchila pela ponta do rabo. O rabo pode ser quebrado ou até mesmo precisar ser amputado devido ao ferimento.

3- Não precisam de vacinas como cães e gatos

4- Na natureza as chinchilas são monogâmicas

5- Um chinchila roer os bigodes de outro é uma forma de mostrar dominância. Quem tem bigodes grandes é considerado superior a quem está com os bigodes curtos por terem sido roídos.

Conheça 4 roedores sem pelos

 Você sabia que existem roedores sem pelos?

 

Muita gente não sabe, mas existem alguns roedores com variedades sem pelos. Os chamados hairless.

O aspecto diferente atrai a curiosidade de muita gente e divide opiniões sobre serem feios ou bonitos.

Esses bichinhos sofrem mutações genéticas que fazem com que não tenham pelos ou que mesmo nascendo com pelos acabem perdendo durante o crescimento.

São animais muito interessantes que devido a ausência de pelos possuem maior sensibilidade ao frio e ao sol e apresentam metabolismo mais acelerado para manter sua temperatura corporal.

 

 Porquinho da índia

Existem 2 raças.

 Skinny: Não são completamente pelados. Tem um pouco de pelos nas patas e focinhos. Também podem ter alguns pelos no dorso e bigodes.

 

Baldwin: Nascem com pelos,mas após sete dias de vida começam a perde-los até ficarem completamente pelados. Perdem inclusive os bigodes.

 

 

 Twister

 São bem ativos e adoram se manter aquecidos em tocas. Tem pele macia e a cor da pele pode variar do branco rosado ao cinza.

 

 

 Camundongo

É um bichinho bem sensível que precisa estar sempre bem protegido do sol e do frio. Em dias mais frios passa a maior parte do tempo dormindo na toca saindo apenas pra comer e fazer as necessidades.

 

 

 Hamster

Ainda pouco conhecido como pet. Tem comportamento igual ao de um hamster com pelos, mas um pouco mais ativos. Ainda não é encontrado no Brasil.